BLW – a nossa experiência

Quando o Tom fez 8 meses queria ter escrito sobre o tema da alimentação, mas com todo este drama da pandemia, não consegui organizar as ideias para publicar o post. Por isso, hoje escrevo sobre o BLW e a introdução da alimentação complementar na nossa vida.

Apesar do pediatra ter sugerido introduzir papas e frutas a partir dos 4 meses, decidimos não o fazer. Tinha lido muito sobre o tema, e sabendo que o leite é o alimento principal do bébé até fazer 1 ano, pareceu-nos precipitado introduzir alimentos tão cedo. 

Por volta dos 5 meses fizemos um workshop de BLW e decidimo-nos pela “versão” mista, ou seja, oferecer alimentos sólidos, mas também dar as papinhas e as sopas.
Não me vou demorar a explicar o que é o  Baby Led Weaning, porque há muita informação na internet sobre o tema e é fácil perceber do que se trata. A ideia do meu post, é partilhar a nossa experiência e contar como está a correr connosco. 

Resumindo, o BLW é a alimentação auto-regulada pelo bébé, com a  introdução de alimentos sólidos a partir dos 6 meses; o bébé come sozinho a quantidade que lhe apetecer. Tudo devidamente cortado e confeccionado de forma a facilitar a ingestão em segurança. 
Os benefícios são vários, porque além de se dar a provar ao bébé diferentes sabores e texturas desde muito cedo, ajuda à motricidade e à autonomia, entre muitíssimas outras coisas.

O Tom experimentou umas papas caseiras sem glúten, (aveia, arroz e milho), umas semanas antes dos 6 meses. Pouco depois vieram as sopas de legumes e ao mesmo tempo fomos oferecendo alimentos sólidos, primeiro uma banana, depois um pouco de brócolos cozidos, uns palitos de cenoura, batata doce e por aí a fora. Correu tudo muito bem, até porque ele já desde os 4 meses que mostrava interesse pela nossa comida.  

Mas pouco depois dos 6 meses tivemos um pequeno susto e fomos parar ao hospital, porque  numa noite comeu demasiado (papa, leite e mama) e fartou-se de vomitar. Desde esse momento, o Tom nunca mais quis que lhe déssemos comida à boca. Nao aceita colheres, nem garfos; acabaram-se as papas, as sopas, o iogurte, as papinhas de fruta, ou qualquer outra coisa que ele não possa comer sozinho.

Tivemos algumas semanas de profundo stress e muitos nervos, a tentar que ele comesse de todas as formas, com todo o tipo de colheres, em pratos diferentes, com canções, com brinquedos… até que aceitamos que ele queria comer sozinho e não havia volta a dar.

Salvou-nos o BLW! Como já estava a ser habituado a comer sólidos sozinho, não houve nenhum problema em deixar de dar alimentos à colher. Só tivemos de pôr a imaginação e a criatividade a funcionar para poder oferecer os nutrientes das papas e sopas noutro formato. 

Comer sozinho sendo tão pequenino, tem o grande inconveniente de sujar tudo, tem também a questão do desperdício, porque ao princípio é mais comida para o chão do que para a boca. Mas tem principalmente, a enorme preocupação de se poder engasgar. (Por isso fizemos também um workshop de primeiros auxílios na infância antes de começar a alimentação complementar.)

No entanto os benefícios são evidentes em muito pouco tempo; estamos a fazer BLW exclusivo há quase 3 meses, e as refeições são sempre um momento pacífico em família. Todos nos sentamos à mesa e comemos ao mesmo tempo. (O Tom ainda na cadeirinha dele). Ele está tão entretido com a sua comida, que nos permite comer com tranquilidade, sem termos que lhe estar a dar a comida à boca (mas sempre com os olhos postos nele). Neste momento já praticamente não deixa cair comida para o chão, e come tudo o que se põe no prato. 

O BLW dá trabalho e requer muita atenção. É muito mais simples/seguro fazer uma sopinha que dura 2 ou 3 dias no frigorifico, dar à boca do bébé e despachar as horas da comida. Além de que nem sempre é bem visto por alguns pediatras ou por alguns avós, que sendo da “velha escola” acham que os bébés, porque não têm dentes, não sabem mastigar. 

Este não é um caminho fácil; mesmo que com a melhor das intenções, fomos criticados e questionaram-nos várias vezes sobre as decisões que fomos tomando. Nós  tentámos sempre ler muito sobre o tema e formarmo-nos para podermos fazer uma escolha correcta e segura para o nosso bébé. E também ser fiel à nossa intuição e àquilo em que acreditamos. 
Até agora tem corrido bem e penso que à medida que o Tom consiga coordenar sozinho as colheradas à boca, voltará a comer as sopas e as papas por ele mesmo. 

Mostro aqui alguns pratos do que o Tom costuma comer. Espero que sirva de inspiração para outros pais, que estejam a pensar se devem ou não arriscar com o BLW, não desistam nem se deixem desmotivar pelos ‘velhos do restelo’. Sigam a vossa intuição e façam sempre o que acharem melhor para o vosso bébé.

 

18.01.2020 – com 5 meses e meio –  a primeira bananaimg_3156

29.01.2020 – com 6 meses – Comprámos o kit da Tidy Tot com babete e plataforma de mesa, mas usámos apenas um mês e sinceramente não acho que seja imprescindível. img_3514

Lavamos e cortamos em forma de palitos para que seja fácil para ele agarrar. Congelamos e todos os dias tiramos o que precisamos e cozemos, assamos no forno ou a vapor.img_3988

Sopas individuais e os legumes previamente cortados, prontos para serem congelados.img_3989

Bolinhos de arroz e frango, uns levam cenoura, outros courgette e cebola. Congelamos e todos os dias tiramos só o que ele vai comer.img_4067

Base para Pasteis de Pescada.img_4747

img_5070

img_4748

Base para Pasteis de Cogumelos.img_5076

11.02.2020 – 6 meses e meioimg_4073

Bolachas de Aveia, Banana e Maçã. img_3356

img_3357

Almoços:

Bróculos, pasteis de frango com abacate fresco, boniato, panqueca de batata e cenoura, pêra-rocha cozida e abacate fresco. Adora abacate!!

16.03.2020 – 7 meses e meioimg_5807

Bróculos, boniato, maça cozida, abacate fresco, pastel de cogumelos e pastel de frango.img_5222

Bróculos, boniato, pastel de frango, pastel de feijão preto com cebola e abacate.

27.03.2020 – 8 mesesimg_5272

Bróculos e cenoura ao vapor, com pasteis de frango e cogumelos e abacate fresco.img_5103

img_5325

img_5640

Pasteis de Borrego com abacate, pêra-rocha cozida, bróculos, abacate fresco, boniato e panqueca de batata e cenoura.

07.04.2020 – 8 mesesimg_5805

Processed with MOLDIV

 

2 opiniões sobre “BLW – a nossa experiência

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s