Feliz Dia do Pai

A paternidade pode ser tão forte como a maternidade, a grande diferença é que não a sentimos nós mulheres.

Acho que como ainda não é tão comum, (como deveria ser) ver um homem falar das suas questões emocionais, nem sempre nos damos conta da intensidade que acarreta tornar-se pai.

Estamos tão centradas na nossa maternidade, que a paternidade dele é muitas vezes minimizada sem lhe prestarmos a devida atenção.

A vida do H. também mudou radicalmente desde que foi pai. E por circunstâncias da vida, é ele que cuida do Tom 24/7. Aquele papel tradicionalmente feminino, na nossa casa é assumido pelo H, e fá-lo de forma não só exemplar mas também criativa e cheio de paciência. Tem momentos de desespero como qualquer humano, de cansaço, de exaustão. E depois tem momentos de amor extremo e gargalhadas sem fim.”Exactamente como uma mulher!”

Há dias em que me parece um polvo cheio de braços, capaz de fazer três coisas ao mesmo tempo e quando me levanto do computador está tudo preparado e organizado. E tem dias em que está tudo em pantanas e ele está exausto e tem vontade de se atirar para o sofá e desistir. “Exactamente como uma mulher!” Ahahha

Esta maravilhosa experiencia de ver o H. cuidar de tudo, do filho, da casa e da nossa vida; fez-me ter a certeza que eles são como nós, com as mesmas capacidades, com dias bons e maus, cheios de amor e paciência e raiva, e desespero e cansaço e alegria…. eles podem ser exactamente…. “como uma mulher”! Porque a realidade é que todos somos humanos, iguais apesar das diferenças. E se nós temos o “privilégio” de poder gerar vida dentro de nós, depois do nascimento, eles podem cuidar tão bem ou melhor do que nós próprias.

Eu cresci com a presença de um pai amoroso e cuidadoso, que nos estimulava intelectualmente e nos apoiava e incentivava a lutar pelo que acreditavamos. O meu pai é um homem à frente do seu tempo, lúcido e de coração grande. Passou-nos a noção de valores e responsabilidades, mas deixou-nos sempre livres para descobrir o nosso próprio caminho.

Acho que por ter vivido como filha, uma paternidade tão presente e tão bonita, reconheço perfeitamente os sinais cá em casa. Os laços que se formam entre o H. e o Tom provam que afinal os meninos não são sempre mais apegados às mães. O amor é recíproco, multiplica-se e distribui-se de igual maneira por todos cá em casa. E eu não posso estar mais agradecida!

Feliz dia do pai,

Papá A.C. e H. ❤️

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s