Kit SOS [para viajar]

Um kit de primeiros socorros pode não ser a primeira coisa em que pensamos quando vamos viajar, mas a verdade é que é algo muito importante. Com o passar dos anos e os carimbos no passaporte, fui identificando aquilo com o qual não posso viver sem, ou as coisas que normalmente não uso, mas que se as tenho num momento crucial, dão imenso jeito.

Hoje partilho o que está dentro do KIT SOS que levo para as minhas viagens, que pode variar dependendo do destino, mas que é sempre imprescindível.

Paracetamol/Ibuprofeno
São medicamentos básicos, fáceis de comprar em qualquer farmácia e que não precisam de receita médica. O importante é ser algo que acabe com uma dor de cabeça que aparece de repente, uma leve febre ou uma dor de músculos, depois de muito caminhar.

NOTA: Se formos para um destino onde há possibilidade de haver mosquitos, não devemos tomar ibuprofeno, porque este mascara os sintomas da malária. Se nos aparecer alguma febre num destino tropical, devemos tomar paracetamol e se não passar depois de 24/48 horas, o melhor é ir ao médico.

Comprimidos para a Diarreia & Envelopes Hidratantes
Inevitavelmente acontece! Se estamos num país onde as condições de higiene são duvidosas, ou se simplesmente a alimentação é mais condimentada do que aquilo a que os nossos intestinos estão habituados, em algum momento podem-se ressentir (para não dizer algo pior).
Na India tivemos uma refeição em que o H., por uma questão de educação, comeu com as mãos; e mesmo que as tenha lavado antes, não conseguiu escapar de uma visita prolongada ao wc. Às vezes o simples facto do nosso organismo não estar habituado a determinadas bactérias, faz com que “La turista” nos visite. Assim é como chamam aqui em Espanha a diarreia das viagens: La turista!
Para compensar ajuda muito se misturamos com água, aqueles envelopes de sais minerais e vitaminas que evitam a desidratação.

Comprimidos para o enjoo e náuseas
Depois de uma viagem de catamarã do Morro de São Paulo para Salvador da Baía, onde todos os assentos do barco tinham um saco de plástico e um rolo de papel higiénico, eu prometi a mim mesma que nunca mais viajava sem o meu querido Vomidrine.
A verdade é que para pessoas que enjoam de barco, carro e bus; como eu, ter estes comprimidos à mão, previne situação desagradáveis; como estar a fazer snorkeling nas ilhas Gili e alguém vomitar em alto mar, ao pé de mais 10 pessoas que tentavam ver as tartarugas e os peixinhos de várias cores. 🙈

Repelente de Mosquitos/ Creme pós mordidela
Evita mordidelas de mosquitos! Penso que está tudo dito!
De qualquer forma, devo dizer que provar os remédios locais também pode ser uma boa ideia. Na Tailândia usava um óleo de coco que funciona como repelente e na India depois de ser atacada por uns quantos mosquitos, comprei uma pomada que era 100 mil vezes melhor do que o fenistil.

Medicação para a azia e para os gases
Não é preciso contar histórias em relação a isto, porque já todos passámos por aqueles momentos, em que comemos demasiado e depois temos o resto do dia arruinado.

Anti-histamínico
Ainda que evite tomar, para quem tem alergias, é imprescindível.

Gel Antibacteriano
Já contei NESTE POST o porquê de não dispensar este item. As razões são obvias, nem sempre temos a possibilidade de lavar as mãos, e se andamos todo o dia de mochila às costas, a subir e a descer de comboios e autocarros, em algum momento vamos precisar de passar as mãos por água.

Creme antisséptico/ Óleo Rosa Mosqueta
Um arranhão ou uma pequena ferida, pode não ser nada de especial; mas se infecta do outro lado do mundo, pode-se tornar um problema. Se faço uma ferida e não tenho água oxigenada nem betadine, lavo com água e sabão e aplico um creme antisséptico ou rosa mosqueta para ajudar a cicatrizar.

Produtos Femininos
Este campo depende um pouco do que cada um está habituado a usar, e apesar de dizerem que o copo menstrual é o melhor que por aí anda, eu ainda não aderi. Por isso, para quem usa tampões, o melhor é levar de casa, porque nem sempre é fácil encontrar. Em relação à higiene, eu aprendi que se nos aparece um mal estar ou uma comichão e não se tem um ginecologista perto, nem os típicos sabões vaginais, o melhor é lavar-se com água e vinagre. Fica a dica!

Também importante: Uma pequena tesoura, gaze, algodão, pensos-rápidos, cotonetes, um termómetro, soro fisiológico, uma lanterna pequena, água oxigenada/betadine, relaxante muscular; e todas as outras “milongas” que usamos em casa para nos aliviar as penas.

Não esquecer:
·        Se vão viajar para destinos com grandes altitudes, talvez seja melhor levar medicação para isso.
·        Se estão solteiros e pensam em estar sexualmente ativos, o melhor é pôr preservativos no Kit. O último “recuerdo” que querem trazer de volta para casa é uma doença infecto-contagiosa.
·        Nunca esquecer de verificar as vacinas antes de partir e se necessário levar cópia do boletim, há países onde não é possível entrar caso não se tenha determinadas vacinas.
·        Levar as bulas dos medicamentos, para ter a certeza do que são e da data de validade. (Nunca me vou esquecer que na India estive mais de 3 dias com diarreia, que não passava mesmo tomando comprimidos para que parasse; porque esses mesmos comprimidos tinham lactose, e eu como intolerante sofri o efeito contrário ao desejado.) 🙄🤢

Prevenir é o melhor remédio! O ideal é que não usemos nenhuma das coisas que acabei de referir, mas sejamos realistas… as probabilidades são poucas. Não há nada pior do que entrar num autocarro para uma viagem de 15 horas e ter uma dor horrível de costas.

Este é o meu Kit de primeiros socorros para quando viajo!
Falta algo? Aceito sugestões!
Boas viagens!

*Este post baseia-se na minha experiência e contém apenas conselhos, não substitui de forma alguma uma consulta no vosso médico de família. 😉