A horta Da.Ni

Para mim, Setembro sempre foi como Janeiro, o regresso das férias de verão faz com que seja um mês para começar de novo e tomar decisões. Em Setembro tenho vontade de cortar o cabelo, de mudar as coisas em casa, de voltar a fazer Yoga, e tantos outros temas que ano após ano vou deixando para trás. Este ano, e também porque é algo que já vem acontecendo há algum tempo, as decisões passam por levar uma vida mais saudável. Fazer desporto, comer melhor, não fumar, beber menos… hábitos do quotidiano que às vezes são penosos de deixar. 

Começámos a mudar, há vários meses, a nossa forma de comer e pouco-a-pouco vamo-nos dando conta de como nos sentimos bem com as novas escolhas. Eu nunca fui fã de carne e por isso o que chamam hoje de flexitariano ou semi-vegetariano, adequa-se perfeitamente a mim; é basicamente o que faço há muitos anos, mas agora está a ser de forma consciente e preocupando-me cada vez mais com a qualidade dos produtos que consumo. 

Estas escolhas passam principalmente por uma tomada de consciência, não só do nosso corpo e mente; mas também do mundo à nossa volta; dos outros seres-vivos e do meio ambiente. 

O Helder (marido há 1 ano/namorado há 15/ melhor amigo e companheiro de vida) apesar de ser totalmente carnívoro, tem sempre vontade de provar coisas novas e convenhamos que quando uma determinada prática nos faz sentir melhor, não há porque contrariar os factos. 

Em 2012 na nossa primeira viagem à India, conhecemos um mestre de Yoga em Hampi, com quem fizemos umas aulas de madrugada e ao ar livre, uma experiencia extraordinária, sobre a qual escreverei noutro momento. Entre todos os conselhos e ensinamentos absorvidos, houve um que introduzimos na nossa vida e sem o qual é já impossível viver. 

Todos os dias quando acordamos bebemos um grande copo de água; algumas vezes com limão, outras com argila (depois de repousar toda a noite); mas quase sempre, água à temperatura ambiente que nos limpa o organismo e ativa os nossos órgãos internos. Depois disso, o dia começa; uns dias com umas posturas de Yoga, outros com flexões e abdominais, e outros dias atrasados porque o despertador não tocou; mas sempre com um momento íntimo entre nós e o nosso corpo. 

Há mais de um ano que deixámos de beber leite, optámos pelos sumos com legumes, frutas e sementes, que alimentam, dão energia para várias horas e purificam o sangue. (em breve partilho aqui uma das minhas receitas). Nesta nova trajetória da minha vida, e inspirada pelos projectos do Rafa, um amigo brasileiro: Ecoeficientes  e Noocity, comecei a pesquisar a possibilidade de plantar alguns vegetais em casa; já que temos a sorte de viver num apartamento com um belo terraço. Em Barcelona há várias hortas comunitárias na rua, e há algumas lojas onde se pode adquirir informação e materiais para montar a nossa própria horta; por exemplo: El meu hortet urba

A decisão final veio quando ao lermos o post do Seis mais dois, um blog familiar, que normalmente acompanho e acho super fixe, percebemos que não é porque vivemos numa grande cidade, que não podemos chegar a casa e ter também um bocadinho de vida de campo. 
Na minha opinião os benefícios a nível de qualidade de vida e saúde são imensos, mas a cereja no topo do bolo, será o tempo que a partir de agora vamos passar no terraço, entretidos a cuidar da nossa horta e de nós próprios (corpo e alma).  


 
 
     
    
    
 
    
  

 
 

 

 

4 thoughts on “A horta Da.Ni

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s