Livros de mão em mão 

 No momento em que vim viver para Barcelona muita coisa mudou na minha vida; a maioria das coisas mudaram para melhor, mas houve algo que não acompanhou o compasso do resto. 

Ler!!

Os primeiros anos foram tão intensos que praticamente deixei de ler. Deixei de aproveitar cada espaço livre do meu tempo para ler, como fazia em Lisboa.

Lia no comboio Oeiras-Lisboa, lia no barco Lisboa-Montijo, lia no metro, lia nos bancos da faculdade, lia nos miradouros da cidade; lia quando tinha tempo e também quando quase não tinha. 
Em Barcelona o ritmo é diferente, tudo é muito mais acelerado, mais à flor da pele, mais profundo.

 Aos poucos, e para fazer frente a um grande vazio, comecei a ler no metro a caminho do trabalho. Descubri autores nativos, que me ajudaram a melhorar o castelhano e me levaram para as suas realidades, culturalmente distantes da minha.

Encontrei vários, muitos e tão bons, que foi complicado escolher e identificar quais se adaptavam a mim, aos meus gostos literários. Eu adaptava-me a todos, porque de repente só queria ler em ‘espanhol’.

Ao principio não foi fácil, habituada a ler em português e em inglês, o castelhano apesar de quente e sedutor, não me prendia. Levei vários anos até encarrilar, mas agora não quero outra coisa. Voltei a ler a 100%, sempre que tenho um tempo livre, saco o livro da mala e leio.

 Na verdade, este blog e tudo o resto (a Obvious e a página do FB) são consequências disto. Quem escreve também lê; e quando não se lê, não se escreve nada de jeito. Há em mim um bloqueio natural se não leio, uma falta de inspiração.

Agora, quero começar aqui no blog o meu clube de leitura; comentarei os livros que leio e adorava ler comentários sobre os livros de quem também me lê. Vou escrevendo, quando me apetecer, sobre livros que já li, os que gostei, os seus autores ou apenas algum detalhe que me chame a atenção. 
Neste momento vou começar a ler o ‘Budapeste’ de Chico Buarque, um dos meus letristas preferidos, dono de uma voz inigualável e apaixonante. Adoro as suas músicas e os seus poemas, e já escreverei em breve o que acho dos seus livros.

Este livro chegou até mim por uma fantástica iniciativa dos amigos do Caravela Gourmet, sobre o qual escrevi aqui.
Estão a fazer uma biblioteca portuguesa, onde se pode doar livros, partilhar, levar emprestado e aproveitar para pôr a leitura em dia, de forma generosa e completamente gratuita.

Acho maravilhoso, poder ir a um bar com tão bom ambiente, beber um copo de vinho e ainda trazer um livro para casa.

O que podemos pedir mais?!

Vamos, fico à espera que partilhem também os vossos livros. Podem entregar no Caravela, e fazer comentários aqui no blog ou no instagram: palavras.na.barriga 

Boas leituras!   

    
    
 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s